As medidas de combate à disseminação do novo coronavírus (Covid-19), embora necessárias, podem trazer impactos negativos no bem-estar das pessoas. O isolamento social, que reduz o contato humano, aliado a medos como adoecer e perder familiares podem elevar os níveis de estresse ou ansiedade. Para ajudar empresas a lidar com essa realidade, o Serviço Social da Indústria (Sesi) divulgou o Guia Sesi Saúde Mental em tempos de Covid-19: Guia Sesi para gestores de empresas. O documento traz recomendações para adaptar a gestão de pessoas nos seguintes contextos: trabalho presencial; home office; afastamento compulsório de trabalhadores e isolamento domiciliar de casos suspeitos ou confirmados da doença.

De acordo com o gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do Sesi, Emmanuel Lacerda, a pandemia tornou a gestão da saúde dos trabalhadores mais complexa, exigindo um olhar e atendimento específico a cada situação. “Um gestor pode ter de administrar pessoas em diversos contextos de trabalho e, mais do que nunca, precisam de suporte para se adaptar a essa nova realidade, ao mesmo tempo em que eles também precisam de cuidar da própria saúde mental”, destaca Lacerda.

Confira as principais recomendações do guia:

Plano de proteção à saúde mental

Além das doenças mentais, o plano deve contemplar fatores de vulnerabilidade social dos trabalhadores, como situação financeira e perda de emprego de membros da família. É preciso ainda garantir que profissionais de saúde atuem de forma mais ampla, contemplando capacitação, construção de iniciativas coletivas de suporte social e estratégias de detecção precoce. Também deve-se preparar para que a maior parte dos problemas psicossociais seja atendida por profissionais não especializados, como colegas de trabalho, supervisores e voluntários da comunidade.

Comunicação e acesso à informação

Crie formas de comunicação de qualidade e eficaz com os trabalhadores e evite focar apenas em mensagens escritas. Disponibilize ainda acesso a informações sobre sites seguros onde trabalhadores podem encontrar práticas que os apoiem a planejar e adotar estratégias para proteção e cuidado pessoal e dos entes queridos. Essa estratégia é fundamental para manter a tranquilidade e a confiança entre os membros da equipe, o gestor e a empresa.

Reorganização do trabalho

Seja flexível para renegociar metas, adote rotatividade entre trabalhadores em funções de maior e menor estresse e crie equipes associando trabalhadores menos e mais experientes. Além de evitar sobrecarga de trabalho, essas medidas são um importante sinalizador de que a empresa e o gestor se importam com o bem-estar das pessoas e a sobrevivência do negócio no longo prazo.

Suporte psicológico

O gestor deve estar atento a mudanças de comportamento dos trabalhadores e buscar apoio da área de Recursos Humanos. Além de facilitar o acesso a serviços de saúde mental, oriente trabalhadores a darem suporte social e emocional aos colegas e familiares. Crie oportunidades no ambiente de trabalho e em meios digitais para compartilhamento de histórias e de imagens positivas de pessoas que se recuperam da Covid-19. E lembre-se do mais importante: honre e reconheça a importância de seus profissionais. Com essas medidas, a empresa conseguirá manter a laços entre as pessoas e incentivar a manutenção do senso de equipe.

Apoio aos gestores

Os gestores estão sendo ainda mais pressionados neste período de pandemia. Por isso, também precisam ser cuidados. É importante que as estratégias de suporte à saúde mental sejam aplicadas a esses profissionais e que se garanta que sejam capacitados para a autogestão das medidas definidas. Além de garantir melhor cuidado da saúde desses profissionais, a empresa permite que os líderes sejam exemplos no autocontrole e cuidado com a saúde aos demais trabalhadores.

Share This